Ácido Hialurônico: qual a medida ideal?

0
10

Especialista explica porque a qualidade sempre deve ser prioridade ao invés da quantidade em procedimentos estéticos; relembre alguns casos famosos sobre o assunto

Não é novidade que o ácido hialurônico é um dos queridinhos quando o assunto são procedimentos estéticos. A substância é uma das mais utilizadas em consultórios médicos para tratar incômodos estéticos na pele, como rugas, sulcos, depressões, envelhecimento facial, entre outros. Além disso, ele é um dos principais aliados durante o processo de embelezamento com injetáveis, que envolve uma série de procedimentos que irão melhorar a simetria do rosto.

No entanto, alguns resultados inadequados, principalmente em personalidade famosas, tem acendido o alerta sobre até que ponto o preenchimento com ácido hialurônico realmente traz benefícios. Segundo a médica especialista em estética, Dra Lívia Fraga, o mais importante, nesse quesito, é entender que a quantidade não é sinônimo de qualidade. “Uma das principais coisas que nós, profissionais, precisamos passar para o paciente é que seu organismo e características físicas são únicos. Ou seja, nem sempre o que ficou bom para uma pessoa também ficará bom em você. Por isso, o que manda é a qualidade do tratamento. Primeiramente, vamos analisar suas necessidades, entender o formato do seu rosto, seus principais incômodos, suas proporções faciais e grau de envelhecimento, entre outros pontos para promover um tratamento adequado e, principalmente, utilizar a quantidade certa de produto que seu rosto precisa”, explica a especialista.

Dra Lívia ainda ressalta que, mais do que entender as características físicas, é necessário ficar de olho também em fatores internos e externos relacionados à saúde geral do paciente. “Existem alguns cuidados antes, durante e após o procedimento que precisamos seguir. É importante analisar, por exemplo, o estilo de vida. Pessoas que possuem hábitos alimentares ruins, que não cuidam da pele, fumam, dormem mal ou que são adeptas do sedentarismo, por exemplo, terão resultados mais pobres e menos duradouros”, alerta.

Casos famosos

Lívia relembra algumas personalidades que viraram notícia devido aos procedimentos estéticos. “Recentemente, tivemos na mídia o caso da cantora Joelma, por exemplo. Devido a uma reação das sequelas da Covid-19, após ter passado por um preenchimento com ácido hialurônico, seu rosto ficou excessivamente inchado. Essa é uma situação que exemplifica a importância de estarmos preparados para todos os cenários”, comenta. “É importante que o paciente saiba os riscos a curto, médio e longo prazo do ácido hialurônico pra que ele possa escolher se deseja ou não se expor à ele”, finaliza.

Fonte: Dra Lívia Fraga, médica especialista em estética (@draliviafraga).