Profissionais de RH podem contribuir para tornar as empresas mais inclusivas

0
1203

Istock. 

Para Cíntia Santos, psicóloga e coordenadora de projetos do Instituto Ester Assumpção, os responsáveis pelo setor que cuida do quadro funcional das organizações podem ajudar a fomentar a cultura da inclusão

Para muitos gestores, o departamento de Recursos Humanos (RH) é considerado o coração da empresa. O setor exerce papel de suma importância, já que, entre as suas funções, tem a responsabilidade proporcionar ao funcionário boas condições de trabalho. E por isso, os profissionais de RH se tornam agentes essenciais para tornarem as organizações mais inclusivas, como, perceber o potencial produtivo da pessoa com deficiência e ajudar a criar estratégias de acessibilidade. Uma alternativa aos responsáveis por estas áreas é a busca por capacitação e consultorias especializadas, como os serviços oferecidos pelo Instituto Ester Assumpção, uma entidade sem fins lucrativos e que não conta com nenhum tipo de apoio governamental.

De acordo com Cintia Santos, psicóloga e coordenadora de projetos da instituição, se tornar uma empresa inclusiva vai muito além de apenas recrutar profissionais com deficiência. “O papel do RH na inclusão é muito importante. Muito além de contratar, cabe ao setor desenvolver as estratégias ide inclusão eficazes, permitindo que sejam colocadas em prática tendo um acompanhamento adequado. Como não existe um manual que levam em consideração as diferentes áreas de atuação das organizações, prestamos consultorias personalizadas aos gestores que desejam ou precisam fazer com que os seus negócios sejam mais inclusivos”, comenta.

Segundo Cintia Santos, não basta apenas o amparo da Lei 8213/91 – conhecida como Lei de Cotas. Para ela, é preciso que o setor de RH perceba o potencial produtivo das pessoas com deficiência. “Sabemos que a legislação estabelece que nas organizações com 100 ou mais empregados, 2% a 5% do quadro funcional deve ser composto por pessoas com deficiência. Mas nem sempre essa lei se torna efetiva e por isso, vemos que é necessário que todos os profissionais do RH estejam preparados para inseri-los da forma adequada e justa no mercado. Por nossa experiência no Instituto Ester Assumpção, vemos muitas vezes é necessária uma orientação mais técnica aos profissionais, que o RH tomará a frente o seu papel de inclusão. Saber lidar e entender as necessidades das pessoas com deficiência é importante para os profissionais e, principalmente para as empresas”, conclui a especialista.

Instituto Ester Assumpção

Fundado no ano de 1987, o Instituto Ester Assumpção é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos criada por Ester Assumpção, educadora nacionalmente conhecida pelo caráter pioneiro e inovador no campo da educação. A instituição atua no campo da inclusão da pessoa com deficiência e tem como foco contribuir para a construção de uma sociedade mais inclusiva, onde a diversidade seja aceita e respeitada na sua integralidade. As principais frentes de atuação são a qualificação e inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho e a consultoria para que as organizações se adequem e cumpram o papel social de promover a inclusão.

Site: https://www.ester.org.br

Instagram: https://www.instagram.com/institutoesterassumpcao/

Facebook: https://www.facebook.com/institutoesterassumpcao/

Artigo anteriorVeículos importados: bens que já foram inacessíveis aos brasileiros
Próximo artigoCiné-Club Virtual “Bande À Part” faz homenagem aos 150 Anos da Comuna de Paris
■ Jornalismo: (Apoio) ______________________________________________________________________ ■ Publicidade & Divulgação de Notícias MKT: Diretor [ Grupo Conteúdo (GC) ] ______________________________________________________________________ ■ Advocacia: Gestor Adv. [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial / Digital ] - "Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)". ______________________________________________________________________ ■ Canal 'Crítica Musical' com Felipe de Jesus (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCIWDiTUL9F-xlKwov43B5nQ ______________________________________________________________________ ■ Graduado: Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus é Jornalista (FESBH), Publicitário (IPSP), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes), Economista (UNIP) & Advogado (FACSAL). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Engenharia de Telecomunicações & TV (F.Nossa Senhora Aparecida / EAD). ______________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here