Os principais desafios da mulher empreendedora

Saiba quais são as principais dificuldades e como superá-las 

O empreendedorismo feminino está ficando cada vez mais em destaque, a participação das mulheres nos negócios cresce consideravelmente a cada ano. De acordo com uma pesquisa de 2019 do Sebrae, em parceria com o GEM (Global Entrepreneurship Monitor) divulgou que existiam 24 milhões de empreendedoras no Brasil. Apesar dessa crescente, diariamente elas passam por desafios, dificuldades para liderar uma família e equipe de trabalho, ao mesmo tempo, e falta de confiança são alguns problemas comuns.

Dentre as principais motivações para empreender, estão a necessidade de ter outra fonte de renda ou para adquirir independência financeira. Por essa razão, é necessário estimular o empreendimento de mulheres. Seja, indicando o serviço para amigos e familiares, ou até mesmo encorajando aquela que conhece e sabe que deseja empreender.

Ainda que as mudanças por igualdade de gênero estejam se tornando mais comuns, é usual que as mulheres sejam questionadas sobre as suas qualidades e capacitações. Isso faz com que as empreendedoras sejam vistas com desconfiança e com falta de credibilidade por clientes e investidores. “Buscar apoio com outras donas de empresas, podem trazer mais confiança, inspiração, além de networking e possibilidades de negócio”, destaca Márcia Machado, empresária e moderadora do Grupo Amor de Mãe BH.

Principais desafios do empreendedorismo feminino

  • Jornada dupla;
  • Falta de incentivo;
  • Falta de confiança;
  • Julgamentos preconceituosos;
  • Dificuldade para se posicionar como empreendedora.

Ter o seu próprio negócio propicia liberdade e autonomia financeira, além de que em muitos casos significa libertação de relacionamentos abusivos e violentos, pois não dependem mais de terceiros para se sustentar.

Também inspira outras mulheres a começar a empreender. “Assim podem influenciar e inspirar outras mulheres, compartilhando suas histórias e ajudando-as a superar os obstáculos e desafios”, conclui a empresária.

Fonte: Márcia Machado, empresária, influenciadora digital e administradora do Grupo Amor de Mãe BH. Casada, mãe da Nanda e do Lipe e boadrasta do Victor e do Marco. –  @marciacmachado @grupoamordemaebh @espacoamordemae –

Foto: Reprodução | Internet

Total
0
Shares
Related Posts
Read More

Rodrigo Kimura – Divulgação. Maior entidade representativa do setor solar fotovoltaico no país, a ABSOLAR – Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica – acaba de eleger seu novo Conselho de Administração para o período de 2022 a 2026. Entre os eleitos, está o diretor comercial da AXS Energia, Rodrigo Kimura, como conselheiro da Regional Sul. Com 20 anos de experiência profissional nos segmentos de geração e transmissão de energia, Kimura faz uma análise do atual cenário do setor no país. “Mesmo com os reflexos econômicos deixados pela Pandemia do COVID 19, o mercado de energia limpa permanece em franca expansão no Brasil, e as projeções para 2022 são muito positivas. Espera-se investimentos da ordem de mais de R$ 50 bilhões no setor. Um fator que tem tracionado muito o crescimento das energias renováveis no Brasil é a busca dos consumidores, tanto pessoas físicas como jurídicas, por soluções para reduzir os seus gastos com energia. Neste momento, as fontes renováveis como a Solar têm feito a diferença neste processo de economia. Fazer parte do conselho da Absolar neste momento é uma oportunidade de contribuir com o setor com objetivo de dar sustentação a este crescimento planejado, comenta. Kimura atualmente é responsável por toda estratégia comercial e de marketing da AXS Energia, que realiza trabalhos para o desenvolvimento do setor solar brasileiro. Para ele, um dos grandes desafios é combater alguns mitos em relação à energia solar, como a acessibilidade. “Grande parte da população ainda acredita que essa é uma alternativa inacessível do ponto de vista financeiro, o que não é verdade. Atualmente existem alternativas que facilitam o acesso. Na AXS, por exemplo, existem planos de energia por assinatura que dispensam investimentos e qualquer tipo de instalação. Basta fazer o cadastro via site para passar a usufruir de uma energia limpa e mais barata”, argumenta. A empresa atende clientes residenciais e pequenos comércios – com consumo entre 300 e 15.000 KWh por mês ou conta de energia acima de R$ 300. “Isso mostra que a energia solar veio para ficar e está acessível para todos”, finaliza. Sobre Rodrigo Kimura Engenheiro Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, com MBA em Gerenciamento de projetos pela Fundação Getúlio Vargas. Possui 20 anos de experiência nos segmentos de geração e transmissão de energia. No segmento de energia solar, atuou na implantação de 500MW de potência instalada (energia suficiente para atender 500 mil residências) e, na geração distribuída, foi responsável pela implantação de 4 mil usinas de micro e minigeração nos segmentos residenciais e comerciais. Atualmente, é diretor comercial e de marketing da AXS Energia, e membro do Conselho de Administração da ABSOLAR.

Rodrigo Kimura – Divulgação. Maior entidade representativa do setor solar fotovoltaico no país, a ABSOLAR – Associação Brasileira…